Campanha da Fraternidade 2014

Postada por: José Raimundo
Cadastrada em: 26/02/2014 16:02:57

 

A Campanha da Fraternidade é uma campanha coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e realizada anualmente pela Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil, sempre no período da Quaresma. Seu objetivo é despertar a solidariedade dos seus fiéis e da sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução.

A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação. Nesse ano de 2014 o tema é “Fraternidade e Tráfico Humano” e o Lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou”. Compreendido como um dos problemas mais graves da humanidade, a campanha vem com o objetivo de identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus.

Segundo o Papa Francisco: “O tráfico de pessoas é uma atividade ignóbil, uma vergonha para as nossas sociedades que se dizem civilizadas!”.

Tráfico Humano, ou Tráfico de Seres Humanos, ou Tráfico de Pessoas, ou Escravidão Moderna todas essas terminologias referem-se à mesma exploração em consequência de violações dos direitos das pessoas. É uma ofensa aos direitos humanos porque oprime e escraviza a pessoa, ferindo sua dignidade e evidenciando diversas violações de direitos presentes na sociedade contemporânea. É um crime invisível, pois suas vítimas não denunciam.

A prática perversa de explorar alguém em condições degradantes permanece nos modernos esquemas da economia global. As modalidades são tráfico para a exploração do trabalho, tráfico para a exploração sexual, tráfico para a extração de órgãos e tráfico de crianças e adolescentes.

Alguns dados coletados:
  • Segundo a OIT são 21 milhões de pessoas no mundo e 1,8 milhão na América Latina;
  • Vitimas: 74% adultos (15,4 milhões) – 26 % abaixo de 18 anos (5,6 milhões);
  • Gênero: 55 % mulheres e 45 % homens
    • Trabalho Forçado: 14,4 milhões
    • Exploração Sexual: 4,5 milhões
    • Trafico de orgãos e adoção ilegal

A Igreja está intimamente solidária com as pessoas afetadas pelo tráfico humano e comprometida com a defesa da dignidade humana, dos direitos fundamentais e com a erradicação do crime. Esse crime é uma ofensa ao povo de Deus e visto como uma negação radical do projeto d’Ele para a humanidade. Somos discípulos e agentes de libertação.

O Trabalho não é mercadoria, é muito superior aos outros elementos da economia. O trabalho é um ato pessoal e todo o trabalhador é um criador.

Nas vítimas do tráfico humano, podemos ver rostos dos novos pobres que a globalização faz emergir. O sistema socioeconômico atual não contempla todas as pessoas. Uma parte delas é excluída e tem que se virar com as migalhas da abundância da produção de bens. É um sistema baseado no mercado e em sua constante expansão, o que se faz privilegiando o lucro em detrimento das pessoas e da vida, em todas as suas expressões.

Diante de um crime que clama aos céus, como o tráfico humano, não se pode permanecer indiferente, sobretudo os discípulos-missionários. A Conferência de Aparecida reafirmou à Igreja latino-americana que sua missão implica necessariamente advogar pela justiça e defender os pobres, especialmente em relação às situações que envolvem morte.

O cartaz da Campanha da Fraternidade quer refletir a crueldade do tráfico humano:

  • As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração das mulheres, homens e crianças, adolescentes e jovens que são explorados em atividades contra a própria vontade e por meios violentos. Representam também os seus sentimentos de impotência perante os traficantes;
  • A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente;
  • A sombra na parte superior do cartaz expressa as violações do tráfico humano, que ferem a fraternidade e a solidariedade, que empobrecem e desumanizam a sociedade;
  • As correntes rompidas e envoltas em luz revigoram a vida sofrida das pessoas dominadas por esse crime e apontam para a esperança de libertação do tráfico humano que se nutre da entrega total de Jesus Cristo na cruz para vencer as situações de morte e conceder a liberdade a todos.

A Virgem das Dores, que amparou seu Filho crucificado, faça crescer entre os cristãos e pessoas de boa vontade a solicitude pelos irmãos e irmãs explorados cruelmente pelo tráfico humano.

Que esta Campanha da Fraternidade suscite, com as luzes do Espírito de Deus, muitas ações e parcerias que contribuam para a erradicação da nossa sociedade dessa chaga desumanizante, que impede pessoas de trilharem seus caminhos e crescerem como filhos e filhas de Deus. Afinal, foi para a liberdade que Cristo nos libertou.

 

Oração da Campanha da Fraternidade de 2014 

Ó Deus, sempre ouvis o clamor do vosso povo

e vos compadeceis dos oprimidos e escravizados.

Fazei que experimentem a libertação da cruz

e a ressurreição de Jesus.

Nós vos pedimos pelos que sofrem

o flagelo do tráfico humano.

Convertei-nos pela força do vosso Espírito,

e tornai-nos sensíveis às dores destes nossos irmãos.

Comprometidos na superação deste mal,

vivamos como vossos filhos e filhas,

na liberdade e na paz.

Por Cristo nosso Senhor.

AMÉM!

 

Hino da Campanha da Fraternidade de 2014

 

É para a liberdade que Cristo nos libertou, Jesus libertador!

É para a liberdade que Cristo nos libertou! (Gl 5,1)

 

1. Deus não quer ver seus filhos sendo escravizados,

     À semelhança e à sua imagem, os criou. (Cf. Gn 1,27)

Na cruz de Cristo, foram todos resgatados

Pra liberdade é que Jesus nos libertou! (Gl 5,1)

 

2. Há tanta gente que, ao buscar nova alvorada,

Sai pela estrada a procurar libertação;

Mas como é triste ver, ao fim da caminhada,

Que foi levada a trabalhar na escravidão!

 

3. E quantos chegam a perder a dignidade,

Sua cidade, a família, o seu valor.

Falta justiça, falta mais fraternidade

Pra libertá-los para a vida e para o amor!

 

4. Que abracemos a certeza da esperança, (Cf. Hb 6,11)

Que já nos lança, nessa marcha em comunhão.

Pra novo céu e nova terra da aliança, (Cf. Ap 21,1)

De liberdade e vida plena para o irmão… (Cf. Jo 10,10)