DÍZIMO

O que é o DÍZIMO

Significa a porcentagem de 10% do que ganhamos honestamente, produzimos, ou colhemos nos campos, nas lavouras, nos rebanhos, etc. O dízimo é uma oferta ou oferenda que reservamos para Deus, em sinal de gratidão e reconhecimento pelos inúmeros benefícios que usufruímos da natureza (a chuva, o sol, a terra, o ar, a água, as árvores, os animais, etc.); do "fruto" do trabalho (salários); e das "benesses" espirituais, morais, físicas ou materiais que recebemos da generosidade de Deus.

Desde os tempos primitivos da criação, era costume do Povo temente a Deus, fazer-Lhe "oferendas" , através de holocaustos, sacrifícios, dízimos; das primícias dos seus rebanhos; da colheita mais proveitosa de seus campos; e dos melhores frutos que a terra poderia produzir. Inclusive, era também oferecido e consagrado a Deus todo primogênito varão para que este pudesse estar sempre a serviço de Deus e da Casa do Senhor. Tudo isso era feito de forma muito consciente, alegre e espontânea em espírito de gratidão a Deus, cumprindo a Lei que determinava o modo de viver de um povo, seus costumes e tradições. "Se fordes dóceis e obedientes, provareis os melhores frutos da terra; se recusardes e vos revoltardes, provareis a espada. É a boca do Senhor que o declara" (Isaías 1, 19-20).

Deus faz uma promessa de "bênçãos divinas" a todos aqueles que reservarem uma parte de suas colheitas, rebanhos, salários ou economias para destinarem à manutenção da sua casa, ou seja, o edifício da Igreja, a instituição religiosa, a Comunidade-Igreja, incluindo a formação dos Sacerdotes nos Seminários católicos, a fim de que todos possam usufruir dos benefícios e benesses necessários à vida espiritual, moral, material e física (saúde, bem-estar, conforto, etc.). "Para vos beneficiar afugentarei o gafanhoto, que não destruirá mais os frutos de vossa terra e não haverá nos campos vinha improdutiva - diz o Senhor dos exércitos”   (Malaquias 3, 11).

Jesus ratificou a necessidade das "ofertas" ou "oferendas" materiais à Sua Igreja, quando Ele observava como as pessoas colocavam suas quantias em dinheiro no "Cofre do Templo": os ricos destinavam grandes quantias daquilo que lhes sobravam; uma pobre viúva destinou apenas duas pequenas moedas que eram do seu sustento material, ou digamos, do seu salário. E Jesus disse que aquela pobre viúva pôs mais do que os outros porque ela dividiu do pouco que tinha para se manter, repartindo com Deus (a Casa de Deus). Conseqüentemente, foi ela quem mais agradou a Deus recebendo maiores "bênçãos e benefícios". (Lucas 21, 3-4).

"Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do Templo, para que haja alimento em minha Casa. Fazei a experiência - diz o Senhor dos exércitos - e vereis se não vos abro os reservatórios do Céu e se não derramo a minha bênção sobre vós muito além do necessário". (Malaquias 3, 10).

ORAÇÃO DO DIZIMISTA:

Recebe Senhor o Meu dizimo:
Não é uma esmola, porque não sois mendigo. Não é uma simples contribuição, porque não precisas dela. Não é resto que me sobra que vos ofereço. Esta importância representa Senhor: Meu reconhecimento e agradecimento, pois se tenho, é porque vós me destes. Também compromisso com a minha comunidade, pois cada mês, ao oferecer alegremente o meu Dizimo, me sinto membro vivo dela.
Obrigado Senhor! Amém!